Notícias

São Paulo conquista ouro nos torneios masculino e feminino de basquete dos Jogos Escolares

Meninas derrotaram time da casa por diferença de apenas um ponto

Atribua uma nota:

Emocionante. Nenhuma palavra pode descrever melhor a final feminina do torneio de basquete da Primeira Divisão dos Jogos Escolares da Juventude, disputada entre o Colégio Amorim, de São Paulo, e o Colégio Londrinense, que compete pela delegação do Paraná. O placar final de 38 a 37 para as paulistanas, que ficaram o jogo inteiro atrás na pontuação, e passaram a frente pela primeira vez com apenas três minutos restando para o cronômetro zerar, mostra bem o que foi o jogo.

Na disputa pela medalha de bronze, o C.E. Santa Mônica, do Rio de Janeiro, venceu o E.E.B. CEL. Gasparino Zorzi, de Santa Catarina, por 54 a 40. A cestinha foi a pivô carioca Brenda Silva, de 14 anos, com 23 pontos anotados.

Embaladas pela torcida, que lotou o Ginásio do Londrina Country Club, as donas da casa foram para cima e abriram 12 pontos de vantagem logo no primeiro quarto. Muito nervosas no início, talvez por não estarem acostumadas a enfrentar uma pressão desse tamanho, as aguerridas paulistanas aos poucos foram colocando a cabeça no lugar. Liderado pela armadora Layla Gabriela, de 13 anos, destaque do time de São Paulo com 15 pontos na final, o Colégio Amorim viu a diferença diminuir aos poucos.

“Comecei a jogar basquete aos dez anos, incentivada pela minha irmã. Desde então, também jogo na equipe do Clube Atlético Juventus. No início encarava o esporte como uma brincadeira, mas desde que percebi que ele poderia mudar a minha vida, mudei minha mentalidade e agora o vejo como um sonho. Por isso, é tão importante para mim participar dos Jogos Escolares. Esse time é muito guerreiro, nunca pensamos que já havíamos perdido. Lutamos até o fim e fomos recompensadas com essa conquista maravilhosa”, disse Layla, logo após o apito final.

O treinador Márcio Isidro, que acumula os comandos das equipes feminina e masculina do Colégio Amorim, explicou o motivo da hegemonia da escola no basquete, tetracampeão entre os homens e, agora, campeão pela primeira vez entre as mulheres: “Nós fazemos um trabalho muito sério há quatro anos, e treinamos duro para fazermos bonito em competições grandes como são os Jogos Escolares. Agradeço muito ao Colégio Amorim, que torna possível a realização do nosso projeto. Somos uma escola privada que incentiva o esporte, e tiramos jovens carentes do mundo das drogas e do crime oferecendo bolsas de estudo para que tenham a oportunidade de ter um ensino de qualidade, aliado aos ensinamentos que só o esporte é capaz de trazer”, disse o técnico multicampeão.

Pela equipe paranaense, a armadora Anna Góis, de 14 anos, foi o destaque do time durante toda a competição. Com 20 pontos anotados na final, a atleta do Colégio Londrinense e da Seleção Sub-15 do Paraná falou sobre a derrota: “Ano passado fomos bronze, e agora melhoramos, com a prata. Mas essa derrota aconteceu de uma maneira muito doída para todas nós. É triste perder assim, mas é um aprendizado muito grande, uma experiência que quero levar para a vida inteira”, disse Anna.

Masculino - No basquete masculino, Colégio Amorim conquista o tetracampeonato

Confirmando sua hegemonia no basquete dos Jogos Escolares da Juventude, também pelo torneio masculino, o Colégio Amorim, de São Paulo, venceu o Colégio Pitágoras, de Minas Gerais, por 45 a 26 na partida final. O destaque do jogo foi Matheus Santos, de 14 anos, bolsista do colégio Amorim, e que também é atleta da equipe de basquete do Circulo Militar de São Paulo. “Como recebo mais a bola durante o jogo, pontuo mais e acabo me destacando. Mas se não fosse a ajuda de toda a equipe, nós nunca venceríamos. Não é a toa que o basquete é um esporte coletivo”, disse Matheus, que foi o cestinha da partida. Além do ouro nos Jogos Escolares, os paulistas garantiram pelo quarto ano seguido uma vaga no campeonato Sul-americano de Basquete Estudantil, que será disputado em dezembro na cidade de Aracaju, no Sergipe.

Pela disputa do bronze, o Colégio Marista de Londrina (PR) levou a melhor na disputa contra  o Centro Educacional Católica de Brasília. Com o apoio da torcida, os atletas paranaenses venceram por 38 a 28.
 
As partidas foram abrilhantadas pela presença do embaixador Josuel Santos, que se surpreendeu ao ver a estrutura dos Jogos e a possibilidade de visibilidade dada a atletas que moram em locais mais distantes dos grandes centros e nunca teriam a oportunidade de ter contato com equipes mais fortes. “Além disso, o fato de eles poderem trocar experiências com outros jogadores, professores e todos os embaixadores que estão aqui”, disse Josuel.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil, correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com apoio da Prefeitura de Londrina e patrocínio máster da Coca-Cola.
 

Galeria
Crédito: 1 de

Atribua uma nota:

Aguarde...