Notícias

Meninas do Castro Alves-ES, conquistam pela quarta vez a medalha de ouro no handebol

Colégio Anglo Livre, de Recife (PE), fica com a prata e o Colégio Ábaco, de São Paulo, com o bronze

Atribua uma nota:

“A emoção é grande demais”. São essas as palavras de Emerson Erlacher, técnico do Colégio Castro Alves, do Espírito Santo, após o resultado da final da 1ª divisão feminina do handebol, na tarde desse sábado, dia 13. Após um jogo disputadíssimo, as atletas capixabas venceram Colégio Anglo Livre, de Recife (PE), por 20 a 15. De acordo com Emerson, a vitória foi resultado não só da parte tática e física, mas, principalmente, da fé e da união.

A cada gol marcado por sua equipe, ele fazia o sinal da cruz e beijava o escapulário, que trazia no peito. “Ano passado, perdemos na final. Foi então que eu as olhei chorando e me senti castigado. Não conseguia enxugar as minhas próprias lágrimas para ajudá-las a levantar. Só me veio na cabeça: eu vou trabalhar 365 dias, vou voltar nessa final e vou vencer. Graças a Deus, hoje, somos tetracampeões nos Jogos Escolares da Juventude”, afirmou o técnico, precisando conter a emoção para concluir as frases.

Além do bom desempenho em quadra, as campeãs se destacavam pelas munhequeiras pretas, envolvendo os pulsos.  Segundo a atleta Amanda Caroline Mittelstadt Stein, de 14 anos, o adereço não é apenas uma finalidade estética. “É um acessório que impede que o suor chegue até as mãos, o que atrapalharia o desempenho das jogadas”, explicou.

Amanda, que é gaúcha, começou no handebol aos 10 anos de idade, ainda no Rio Grande do Sul. Quando disputou o campeonato brasileiro, foi convidada para jogar no Espírito Santo.  Para isso, precisou se mudar de cidade aos 12 anos. Deixou para trás o carinho da família e dos amigos, para dar início ao sonho de ser jogadora da seleção brasileira de handebol.

“No começo, eu não me habituei muito bem à nova realidade, mas depois fui levando. Hoje, só volto para o Sul em julho e em dezembro. Pra driblar a saudade, a internet é a opção. As conversas por Skype e as fotos nas redes sociais diminuem um pouco a distância”, contou Amanda, orgulhosa de ter conquistado a medalha de ouro da modalidade, nos Jogos Escolares 2014.

Segundo o técnico do colégio de Pernambuco, Christiano da Rocha, alcançar o segundo lugar na competição nacional já foi uma grande conquista. As meninas do Nordeste eram visivelmente menos fortes fisicamente. No entanto, fizeram um jogo digno de final. “A gente veio com a ideia de sentir qual era o nível da competição e agora, analisando o resultado final, eu posso dizer que temos um saldo muito positivo”, concluiu.

Ainda neste sábado, pela manhã, o Colégio Ábaco, de São Paulo, e a Escola Sabina, do Mato Grosso, disputaram o terceiro lugar da 1ª divisão de handebol feminino. O Colégio Ábaco levou a medalha de bronze, vencendo a Escola Sabina por 24 a 21.

Handebol Masculino

Assim como no feminino, na decisão pelo ouro da 1ª divisão do handebol masculino, o campeão também foi o Colégio Castro Alves, do Espírito Santo. Eles disputaram o primeiro lugar contra o Colégio Vicentino Santa Cruz, do Paraná, vencendo por 19 a 18.

O terceiro lugar da categoria ficou para a Escola Estadual Prof. Wilson Roberto Simonini, de São Paulo. Na disputa pelo bronze, eles venceram o Colégio Padrão, de Minas Gerais, por 27 a 22.

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados e realizados pelo Comitê Olímpico do Brasil, correalizados pelo Ministério do Esporte e Organizações Globo, com apoio da Prefeitura de Londrina e patrocínio máster da Coca-Cola.

Galeria
Crédito: 1 de

Atribua uma nota:

Aguarde...